Mayara Guedes
- Por que não ligou? Eu não merecia mais explicações além daquela carta? Não podia ter me ligado? Não podia ter me dado uma chance de te fazer mudar de idéia?
- Não podia.
- Não podia? Foi isso que você pensou naquela hora, que você não podia me ligar? Por quê?
- Porque eu não pude.
- Me da uma resposta. Por que não me ligou?
- Porque só em ouvir a sua voz eu teria mudado de idéia.
?
? Querido John  (via meuslimites)

(Source: auroriar, via meuslimites)

Queria que você soubesse, assim, só pra saber, que o teu nome está em todas as minhas orações. E que antes de dormir e ao acordar, sussurro baixinho só para que Deus me escute o quanto é bom ter você comigo, e o quanto eu me sinto agradecida por isso, todos os dias.
?
? Plenitude.    (via meuslimites)

(via meuslimites)

(Source: adivinhadindi, via musicare)


Um grande amor não se acaba assim
(Espumas ao vento - Fagner)

Um grande amor não se acaba assim

(Espumas ao vento - Fagner)

Sou da época em que 90% dos gifs do tumblr eram do Charlie.

mundodebesteira:

image

sdds dessa época :’)

(Source: umasemideusa)

(via musicare)

(Source: vinstage, via musicare)

Só que aí eu acabei mudando. E foi mudança aos poucos, porque até hoje me dou conta de coisas minhas que já não estão mais lá e, quem roubou, eu jamais vou saber. O sorriso mudou e a vontade de sorrir pra qualquer pessoa também, graças a Deus. Foi por sorrir tanto de graça que eu paguei tão caro por todas as coisas que me aconteceram. Às vezes me pego olhando ao meu redor e vendo tanta menina parecida comigo. Tanto sentimento gritando de bocas caladas e escorrendo de peles secas. Tanta coisa acontece com a gente. Tanta gente passa pela gente, mas tão pouca gente realmente fica. E eu sei que, talvez, eu tivesse que ficar triste. Talvez eu tivesse que continuar secando lágrimas, abraçando o vento e rindo no vácuo, mas o fato é que eu não consigo. Eu não consigo mais ser triste só para mostrar que um dia eu fui - ou achei que tivesse sido - feliz. Aprendi com os meus próprios erros que sofrer não torna mais poético, chorar não deixa mais aliviado e implorar não traz ninguém de volta. Aprendi também que por mais que você queira muito alguém, ninguém vale tanto a pena a ponto de você deixar de se querer. Eu que gritei para tantas pessoas ficarem, hoje só quero mesmo é que elas sumam de uma vez por todas. E em silêncio, que é pra ninguém ter porque se lamentar.
?
? Tati Bernardi. (via auroriar)

(via auroriar)

Eu não sou legal, não mesmo. Acho que sempre tenho razão e quando minhas previsões dão certo olho com a cara mais abominável do mundo, dou um sorriso irônico e falo o clássico eu-te-avisei. É que, em geral, eu tenho razão. Essa é a primeira –e mais importante – coisa que você precisa aprender a meu respeito. Não sei receber elogios, fico sem saber o que fazer, me atrapalho e acabo trocando de assunto – quando não troco as pernas e tropeço em algum canto de mim. Sorrio para disfarçar desconfortos. Se eu não gosto de você é bem provável que você tenha medo do meu olhar. E eu posso simplesmente não gostar de você de graça. Se eu gostar de você aviso de antemão que você é uma pessoa de sorte. Eu me entrego. Quem vive comigo sabe. Quem convive comigo sente. Eu amo poucos. Mas esses poucos, pode apostar, amo muito.
?
? Clarissa Corrêa. (via auroriar)

(via auroriar)

9 plays

em uma segunda feira qualquer, depois de um cansativo carnaval, onde passei longos dias sofrendo por um “término precoce”, conheci você. sem qualquer pretensão, você me viu com aquela cara de acabada, um vestido de menininha e me pediu informações sobre as provas, é, elas estavam chegando e você tinha acabado de chegar, caiu ali de paraquedas, caiu ali, na minha vida, pra mudar o sentido daquele lugar… 

depois daquela segunda feira, vieram outras e a cada semana eu gostava mais de você, gostava de tocar no seu nome, gostava de olhar aquela sua foto, aquela primeira que eu vi no perfil do whatsapp, gostava de tudo que tinha relação a gente. já nos consideravam um casal e eu só te via como um bom amigo,ou pelo menos achava que era isso, rs. 

então veio aquele show do forfun, lembra? mesmo naquela noite escura, mesmo que quase ninguém ali se enxergasse, eu via em seus olhos todas as suas intenções, e isso me aterrorizava por dentro. éramos só eu e você ali, ok, os fãs do forfun todos lá, mas ali, olhando um no olho do outro, éramos só eu e você. e foi ali que eu percebi que não podia mais mentir pra mim, queria você, não só como colega de faculdade, e você me parecia querer também.

e uma outra segunda feira veio, nessa uma aula chata, que só me dava sono,e então me apoiei em você e pude sentir teu carinho, tenho pra mim que nunca havia experimentado um cafuné como aquele, naquele momento,tudo que eu queria era poder te beijar e ficar ali até dormir, com minha cabeça em seu ombro e nossas mãos entrelaçadas.

a semana passou mais uma vez, e então, outra segunda feira, e essa pra realmente mudar o sentido de tudo. a aula estava chata, “a professora de segunda é muito ruim”, “vamos embora?” - você disse, “vamos!” - concordei sem pestanejar. sabe o engraçado desse dia? eu estava com aquele mesmo vestido de menininha, aquele azul listradinho com branco, que tem um efeito balãozinho que me transforma quase numa boneca; e  você disse “onde é seu ponto?”, eu mal conseguia pensar, você estava me levando no ponto, não era mais só um “tchau” e “me avisa quando chegar”, você estava me deixando dentro do ônibus… chegando no ponto, você olhou pra mim, com aquele seu olhar mais terno, que juro não vi igual em toda minha vida, me abraçou, sorriu e me deu um beijo. aquele momento superou todas as minhas expectativas, todas as minhas imaginações.

e você me impressionava a cada dia…

teve a segunda que você me trouxe em casa de carro, aquela segunda depois de um feriado longo, aquela segunda que me arrumei toda pra poder te ver, matar a saudade de você, aquela segunda que eu pensei ter concretizado que estávamos indo bem, “de vento em polpa”, aquela segunda que teu beijo tava quente, tava pedindo por mim e eu pedindo por ti, aquela segunda que foi a-que-la segunda…  

e as segundas iam passando, dias ao seu lado, feriados longe de você, cada vez mais seus gestos me impressionavam, você se mostrava mais maduro e fofo a cada dia, a cada “se cuida” “vou sentir saudades” , você me convencia que poderíamos nos dar bem, que poderíamos dar certo.

e aí, uma quarta feira, uma quarta estranha, com declaração no alumínio do ponto, com uma insistência ” por que você não acredita que vou sentir saudades de você?”, um beijo, e um último “me avisa quando chegar”…

e desde essa quarta feira, não houveram mais segundas, você nunca mais voltou, nem numa quinta qualquer, pra dizer que segunda não ia mais voltar. você simplesmente se foi, sem dar satisfação.

domingo, um desses aí, um domingo tediante qualquer, você resolveu avisar, depois de muitas segundas, que na próxima, não voltaria mais, ora, mas disso já sabia, você estava apenas dando o aviso formal, pra não pegar tão mal não é mesmo? 

e foi aí que eu me lembrei o quanto essa música se encaixa nisso tudo, toda sexta feira depois de mais uma segunda sem você, eu postava no twitter “eu bebi saudade a semana inteira” e então logo num domingo, por pura ironia “você vem me dizer que não sabe o que quer e não quer mais saber”. penso que não tem música melhor pra me lembrar você, quando estou triste ponho ela pra tocar e me passo todos os dias em que ri do seu lado, todas as segundas que foram especiais porque você estava ali.

e que por mais que eu tenha visto um alguém que na verdade nunca esteve ali, que na verdade nunca sentiu o que disse sentir, eu não fantasiei isso tudo, estas coisas realmente aconteceram, então no sentido material, elas são reais, não são verdadeiras, mas são reais.

me desculpe por não poder agradecer por algo ainda, sei que um dia vou poder dizer que essa história me serviu de aprendizado, mas hoje ela ainda dói como decepção, ela ainda traz uma tristeza e um anseio para que volte, mas eu sei que não vai voltar, você mal se deu o trabalho de ir, que ideia a minha (risos) (ou não) .

"vá voar com o vento que só lá você existe, não volte mais, não olhe pra trás, mas não se esqueça de mim, não"

ps: numa sexta fria e chuvosa, que me parece mais uma segunda…